22 de mai de 2011

LEMBRANÇA A VIDA TODA




A tendência não começou no Japão, mas é lá que está ganhando mais adeptos:
os donos de bichos de estimação estão optando por preservar as cinzas de seus animais em forma de joias.
As pedras e diamantes são usados em colares, braceletes e até brincos numa tentativa de preservar a memória do bichano querido.

A empresa L-Born é especialista em criar colares, braceletes e molduras de fotos com diamantes e contas coloridas que levam uma mistura das cinzas do animal.
Para quem olha, trata-se de um colar tradicional, muito parecido com outros à venda em lojas, mas para os donos, esses acessórios têm um significado especial.


O novo serviço reflete a tendência cada vez maior entre os japoneses de dedicar sua afeição a animais, que acabam muitas vezes substituindo relacionamentos pessoais.
A indústria para animais de estimação é um dos setores que mais tem crescido no país, alinhada diretamente com uma população cada vez mais envelhecida.


Segundo o Instituto de Comida para Animais do Japão, há cerca de 26,84 milhões de bichos de estimação em lares japoneses,
 um aumento de mais de 1,3 milhão desde a última sondagem, em 2008.
O mesmo estudo, competado em abril, mostrou que mais de 30% dos cães e gatos tinham mais de 10 anos, o que os colocaria na categoria
“terceira idade” entre animais.


O segmento oferece desde aulas de ioga para cães até cafés em que donos e cães encontram um espaço para brincar e fazer uma pausa durante o dia.


Para a empresária Akemi Imai, criadora da L-Born, a "metamorfose" de cinzas para joias nasceu de uma “necessidade” desse mercado.
“Minha amiga me deu a ideia de misturar as cinzas dos animais com joias depois que o cão dela morreu”, contou à revista japonesa “Metro”.


Akemi vem de uma família cujo negócio era a produção de cerâmica.
“As pessoas amam seus animais e por isso decidi desenhar uma linha especial de joias que poderia conter as cinzas após sua morte”.


Para os donos, basta entregar as cinzas de seu animal à empresa, que os ceramistas fazem a mistura e levam ao forno para criar as pedras que mais tarde vão adornar colares, braceletes e até luminárias.


Os diamantes são eternos e agora os bichos de estimação também, graças à ideia da empresária Akemi Imai

Época Negócios

















 














Um comentário:

Aujudando Aumigos disse...

Que coisa né???
Morro de medo em pensar nesse dia... ai ai ai......
Sei que faz parte..... mas.....
Beijinho
Ana