2 de jul de 2010

PENA QUE O DUNGA NÃO CONVOCOU ESSES 2 GRANDE JOGADORES



Dois cães treinados para a prática futebolística e vestidos a caráter da seleção canarinha têm percorrido por recintos públicos de Joanesburgo, incluindo o aeroporto internacional Oliver Tambo. Eles também irão se apresentar nas proximidades dos estádios onde o Brasil jogar.

 

Os dois enviados especiais que estão conquistando a África do Sul, não são pessoas, são dois cães, o Fenômeno e o Garrincha.
Eles cabeceiam, defendem como ótimos goleiros, enfim, são verdadeiros boleiros treinados pelo adestrador André Rosa que é também proprietário dos cães e criador especializado na raça Border Collie com registro na SOBRACI – Sociedade Brasileira de Cinofilia. No Brasil, André Rosa, tem um conceituado complexo de adestramento localizado em São Paulo/SP, a ‘Cães Maravilhosos’.

 

Tratando-se dos dois enviados especiais, o Fenômeno e o Garrincha, segundo uma das integrantes do projeto, Arline Davis, o objetivo da vinda destes dois cachorros à África do Sul, além de fazer a ‘propaganda da Copa do mundo de 2014 no Brasil, é também apoiar as 32 seleções, que a partir de hoje (11/06) começam a desfilar nos estádios preparados para a competição.







Cão viaja com o dono na próxima semana para o país sede do mundial.

Objetivo é gravar um documentário sobre o amor e a alegria dos animais.

 
Um cachorro vai embarcar nesta segunda-feira (31) rumo à África do Sul para acompanhar os jogos seleção brasileira durante a Copa do Mundo. O objetivo de André Rosa, adestrador e dono do cão, chamado Fenômeno – em homenagem ao jogador Ronaldo –, é gravar um documentário e mostrar as maneiras de um cachorro levar alegria às pessoas. Além de representar o país no campeonato mundial, a outra intenção do dono é fazer o bichinho se tornar o mascote do Brasil no continente africano.



Fenômeno, da raça border collie, tem 5 anos e foi comprado por Rosa após ter sido dispensado por sua antiga dona. “Ele era muito ativo e sua dona morava em um apartamento. Ela preferiu dispensá-lo e uma amiga o pegou e o vendeu para mim. Se para ela o fato de ele ser muito “animado” era um problema, para mim foi ótimo”, diz o dono.



O cãozinho joga futebol, basquete, participa de ações sociais, visita pessoas doentes, casas de idosos e já participou de vários programas na TV. Fenômeno também já estrelou comerciais publicitários. “Sempre soube que ele não era um cachorro comum. Ele tem algo a mais”, conta Rosa.



A dupla vai ficar na África durante 45 dias e pretende visitar aldeias e os pontos turísticos da região. Eles vão se hospedar em uma pousada de um amigo de Rosa e, segundo ele, toda a viagem será financiada com seus próprios recursos. “Algumas empresas vão nos apoiar com equipamentos que o Fenômeno vai precisar nesse período, mas o custo da viagem será pago por mim. Acredito que nada disso tem preço, é uma vontade minha, um sonho” afirma.



Após a temporada na África, Rosa pretende fazer um documentário com o material produzido. “Minha intenção é mostrar todos os lugares pelos quais passaremos. O povo, a cultura, os locais mais conhecidos, como por exemplo, o local em que o Mandela foi preso”, diz.



Rosa não sabe se vai conseguir entrar com o Fenômeno nos estádios onde vão acontecer os jogos da seleção, mas garante que vai tentar. “Minha intenção é entrar. Espero que tudo corra bem.”

A próxima viagem da dupla, para a Disney, já está sendo planejada e deve servir de material para um longa-metragem que Rosa que produzir. “Esse é o meu maior sonho”, conta Rosa



Fonte: Portal da Cinofolia
(Notícias de Maio e Junho)


Nenhum comentário: