20 de jun de 2010

PETS TORCEM: PARA NÃO TER FOGOS!!


Cada jogo do Brasil na Copa do Mundo pode significar uma tortura para os amigos peludos e seus donos.
 O kit torcedor (vuvuzelas, apitos, fogos de artifício) agrada aos humanos, que vibram a cada vitória da seleção brasileira com seus apetrechos. Porém, no mundo animal a história pode ser bem diferente.



Durante a estreia do Brasil, no jogo contra a Coreia do Norte, a diretora de arte da Criativa, Cristina Naumovs, precisou deixar a redação para cuidar da Gilda, sua dachshund medrosa. “Uma vez cheguei à minha casa e ela estava presa no vidro da janela, acabou levando 50 pontos”, conta Cristina.


Gilda, a dachshund da Cris esconde-se dos fogos embaixo do edredom


Segundo Daniel Svevo, veterinário, especialista em comportamento animal e consultor da organização Cão Cidadão, os animais têm medo de barulho naturalmente, uns mais, outros menos.
“É uma questão evolutiva. Foram selecionados cães mais medrosos, pois esses teriam mais chances de sobreviver e procriar do que os corajosos”, explica.

 
Cada vez que a seleção brasileira entra em campo tomam alguns cuidados!
São essenciais para o bem estar do seu bichinho.
Para amenizar o sofrimento deles, o bicharada ouviu especialistas e separou as melhores dicas para você.



Prevenir o medo



Se você tem um cão ou gato ainda filhote, com três ou quatro meses, não o conforte em situações de barulho. O ideal é brincar com bolinha ou distrair o pet durante o ruído. Mantenha uma atividade prazerosa com o cão, como brincadeiras, e gradualmente exponha-o a estímulos barulhentos.



Tratar o medo



Segundo os especialistas, é possível tratar o trauma do animal mesmo quando adulto, porém o processo é mais demorado que a prevenção e deverá ser feito com a ajuda de um profissional. “Usamos um CD com sons de fogos, com o som bem baixo e mantemos uma atividade prazerosa com o animal, pode ser uma brincadeira com a bolinha ou petiscos. Aumentamos o som gradualmente para ele ir se acostumando”, explica Svevo.









Sete medidas paliativas



1. Solte a coleira

Não deixe seu cachorro ou gato na coleira. Muitos animais, quando presos, morrem por enforcamento, no desespero de fugir dos fogos e rojões.





2. Deixe-o num local tranquilo

Se precisar isolar seu pet, deixe-o fechado em um local sem vidro e seguro. Com medo, muitos animais atravessam a vidraça e acabam se ferindo gravemente.





3. Acalme-o

 
Homeopatia, florais e acupuntura podem diminuir o medo e a ansiedade do seu animal. Mas esses tratamentos devem ser feitos ao longo do ano. Converse com seu veterinário, pois é ele quem dirá a dose certa e o medicamento correto.





4. Algodão no ouvido

 
Em casos extremos, alguns veterinários indicam colocar um chumaço de algodão nos ouvidos do animal, porém alguns pet podem estranhar também essa situação.





5. Cuidado com as fugas

Não deixei portas e janelas abertas, cães e gatos podem tentar fugir para a rua com receio dos fogos.





6. Televisão ou rádio ligado

Para trazer conforto ao animal, você pode colocá-lo em um local seguro, com a luz acesa e a televisão ou rádio ligado (não muito alto) para abafar o som dos rojões.





7. Sem vizinhança

 
Uma solução, principalmente para quem tem em casa um animal com fobia grave a barulhos, é afastar completamente o bicho, deixando-o em locais protegidos, como hotel longe da cidade e sem vizinhança.










Fonte: Criativa



Fontes consultadas


Daniel Svevo, veterinário, especialista em comportamento animal e consultor da organização Cão Cidadão


Rosirene Pereira Linares Rodrigues, médica veterinária, da Clínica Veterinária Nova Europa, em Campinas


Aldo Macellaro Jr, médico veterinário, responsável pelo Clube de Cãompo, em Itu

Nenhum comentário: