15 de dez de 2009

NÂO TENHO O QUE COMENTAR...

Campeão, pastor alemão feroz é furtado dentro de aeroporto de Cumbica.
Testemunhas viram homens colocando caixa em camionete.

Animal ia participar de competição nacional no Chile.




Descrito pelo próprio dono como um cão feroz, o pastor alemão Kempes Von Nurburgring, de 36 kg e 64 cm de altura, foi levado por dois homens do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em 26 de novembro.



Testemunhas disseram que viram dois homens colocando a caixa em uma camionete. Câmeras de vigilância não gravaram as cenas ocorridas perto do saguão de check-in. "Ele latiu, mas estava latindo várias vezes", disse o empresário Sérgio Tadeu Herbert, de 57 anos, que deixou a caixa do lado de fora de uma loja para tentar resolver problemas relativos ao embarque do animal quando o bicho sumiu.


O pastor alemão Kempes von Nurburgring, furtado dentro do aeroporto internacional de Guarulhos, em 26 de novembro


Desde então, o empresário Ricky Thadeu Hergert, de 27 anos, filho de Sérgio Tadeu, tenta localizar o animal, que tem na orelha a inscrição D4681SP. Ele ofereceu recompensa de R$ 5 mil e colocou anúncios em jornais, na internet e até carro de som na rua. Campeão do sudeste e da Argentina em 2008 e campeão paulista em 2009, o pastor alemão Kempes seria levado para um campeonato nacional no Chile caso não tivesse sido furtado do dono. Também viajariam a pai e a mãe do empresário, dois empregados e outros três cães de raça.

Hergert afirma que não sabe o que motivou o furto do cachorro. De acordo com ele, sem os documentos que comprovam a origem do animal, será difícil vender Kempes. Mesmo com os papéis em mão, o animal não valeria muito mais do que R$ 6 mil, porque, segundo o dono, já cobriu muitas cadelas e já estava se aposentando. A grande perda foi sentimental. "Cancelamos a viagem. Minha mãe ficou com problema no coração, emagreceu. Eu não sei como é ter filho, mas é como se tirassem meu filho", afirmou.

O concurso do qual Kempes participaria no Chile não prevê prêmio em dinheiro. A competição mede critérios como a movimentação, qualidade anatômica e de temperamento, mas representa muito mais um hobby do que fonte de renda para os donos dos animais. "Se a pessoa achou que ele é valioso e que vai conseguir vender, não sabia o que estava fazendo", disse Ricky. "Ele era apenas o cachorro de que eu mais gostava. É tudo o que mais gosto", disse o empresário com a voz aparentemente abatida.


Para o empresário, Kempes já fez prova de ataque e pode ser uma dor de cabeça para estranhos. "Ele é muito bravo. Está dando dor de cabeça para quem pegou, porque é difícil de manejar. Se abrir ou entrar no canil dele, ou se passar a mão, ele morde mesmo", afirmou.




Fonte:  G1




Nenhum comentário: